Agência de Inovação Tecnológica

Agência de Inovação Tecnológica

Fármacos

COMPOSTOS CUMARÍNICOS E SEUS USOS COMO ADJUVANTES DE ANTIBIÓTICOS

Permite o uso de derivados cumarínicos com promissora ação modificadora da atividade antibiótica, podendo ser utilizados na terapêutica, para uso humano ou veterinário, como adjuvantes de antibióticos.

A patente apresenta ação potencializadora da atividade antibiótica permitindo o contínuo efeito dos antibióticos para tratar infecções bacterianas já resistentes aos antibióticos tradicionais.

A tecnologia está depositada no INPI sob solicitação de Carta Patente com Protocolo de nº BR 10 2013 027256 6 A2.

 

COMPOSTOS CUMARÍNICOS E SEU USO COMO AGENTE ANTI-MICOBACTERINOS DESTINADOS AO USO HUMANO E/OU ANIMAL

Diz respeito a compostos químicos, da classe das cumarinas, que possuem promissora atividade antimicobacteriana, podendo portanto ser utilizado para fins de tratamento, profilaxia e paliativa da tuberculose e outras infecções causadas por bactérias do gênero Micobacterium em animais ou seres humanos.

A tecnologia está depositada no INPI sob solicitação de Carta Patente com Protocolo de nº BR 10 2014 012372 5 A2.

 

COMPOSTOS DERIVADOS CICLOALQUIL [B] TIOFENO E SEUS USOS COMO AGENTES ANTI-CANCER

Tecnologia diz respeito a novos compostos de derivados Tiofenos a serem utilizados na saúde humana ou animal para fins de tratamento, profilaxia paliativa ou diagnóstico do câncer.

Exemplos específicos de tipos de tumores que os compostos podem ser utilizados para o tratamento, incluem: sarcoma, carcinoma, glioblastoma e leucemia.

A tecnologia está depositada no INPI sob solicitação de Carta Patente com Protocolo de nº BR 10 2013 031956 2 A2.

 

USO DE NANOFORMULAÇÕES CONTENDO DERIVADOS DE 2-AMINOTIOFENO COMO AGENTES ANTIFÚNGICOS

A presente patente aborda o uso de nanoformulações contendo derivados de 2-Aminotiofeno como agentes antifúngicos.

A avaliação in vitro da sensibilidade de espécies de leveduras dos géneros Candida e Cryptoccus, contra nanoformulações solúveis em água (nanoesferas e nanocápsulas) de 6CN10 e 6CN10 complexado com 2-Hidroxipropil-13-Ciclodextrina (HPBCD-6CNlO). Em comparação com o fármaco livre, foi realizada pelo método de microdiluição em caldo, todos os isolados clínicos de Candida foram sensíveis à droga livre e foram resistentes a todos as nanotormulações á base de 6CN 10. No entanto, isolados clínicos de Cryptoccus neoformans avaliados apresentaram valores de concentração inibitória mínima (CIM) de 0.32-83.33 ug.mL’ para nanoformulações 6CN10 e 0.1-0.2 ug.mI para nanoformulações 6CN1O-HPBCD, sendo até 3.333 vezes mais ativos do que a droga-livre (CIM = 166~66-333.33~Ãg.mL’), além de apresentar uma atividade superior ao antifúngico de referência Anfotericina B (CIM 0,5-0.1 25jug.mL’).

O estudo in vitro mostrou que nanoformulações alteraram as propriedades fisico-químicas da 6CN10 e proporcionaram aumento da eficiência da droga contra Crjptococcu.s em comparação com a droga-livre. Estes resultados nos permitem vislumbrar a possibilidade de nanoformulações á base de 6CN10 se tomarem uma futura alternativa para o tratamento da infecção fúngica criptococose.

A tecnologia está depositada no INPI para solicitação de Carta Patente com Protocolo de nº BR 10 2014 029027 3 A2.

.

COMPOSTOS DERIVADOS CICLOALQUIL [B] TIOFENO E SEUS USOS COMO AGENTES ANTI-CANCER

A presente tecnologia diz respeito a novos compostos de derivados Tiofenos a serem utilizados na saúde humana ou animal para fins de tratamento, profilaxia paliativa ou diagnóstico do câncer.

Exemplos específicos de tipos de tumores que os compostos podem ser utilizados para o tratamento, incluem: sarcoma, carcinoma, glioblastoma e leucemia.

A tecnologia está depositada no INPI para solicitação de Carta Patente com Protocolo de nº BR 10 2013 031956 2 A2.

.

PROCESSO DE OBTENÇÃO E COMPOSIÇÕES FARMACEUTICAS DE DERIVADOS 3-(ACRIDIN-9-IL)-N-BENZILIDENO-2-CIANOACRILOHIDRAZIDAS E PRODUTOS DESSAS COMPOSIÇÕES E USO COMO ANTITUMORAL, LEISHMANICIDA, ANTIMALÁRICO E ANTICHAGÁSICO

A tecnologia caracteriza-se pela composição farmacêutica de compostos 3-(Acridin-9-Il)-N-Benzilideno-2-Cianoacrilohidrazidas e seus derivados sais, ésteres, amidas ou pró-fármacos, farmacologicamente aceitáveis a serem utilizados na saúde humana e/ou animal com fins de tratamento, profilaxia, paliativa, ou também como diagnóstico de câncer, leishmania, doença de Chagas e malária.

Uma característica da patente é o uso dos compostos 3-(Acridin-9-Il)-N-Benzilideno-2-Cianoacrilohidrazidas e seus derivados como agentes antitumorais, leishmanicida, antichagásicos e antimaláricos misturados a excipientes farmaceuticamente aceitáveis, em solução ou no estado sólido.

Os compostos da presente invenção são úteis em composições farmacêuticas com carregadores convencionais ou veículos, para a administração a humanos e animais em dosagens nas formas de tabletes, cápsulas, pílulas, pós grânulos, supositórios, soluções e outros.

A tecnologia está depositada no INPI para solicitação de Carta Patente com Protocolo de nº BR 10 2015 016427 0 A2.

.

PRODUTOS FARMACÊUTICOS Á BASE DE 2 – [(2,6-DICLOROBENZILIDENO)AMINO] -5,6-DIIDRO-4H-CICLOPENTA[B]TIOFENO-3-CARBONITRILA) (5TIO1) COM PROPRIEDADE ANSIOLÍTICA, SEDATIVA E HIPNÓTICA

A tecnologia trata da atividade de 2-[(2,6-Diclorobenzilideno)Amino]-5,6-Diidro-4H-Ciclopenta[B]Tiofeno-3-Carbonitrila)(5TIO1) e seu complexo de inclusão fármaco-ciclodextrina sobre o sistema nervoso central, com propriedade ansiolítica, sedativa e hipnótica para uso na saúde humana e/ou animal com fins de tratamento, profilaxia ou paliativa.

A tecnologia está depositada no INPI para solicitação de Carta Patente com Protocolo de nº BR 10 2012 021833 0 A2.

.

DERIVADOS 2-[(BENZILIDENO) AMINO]-5,6- DIIDRO-4H-CICLOPENTA[B] TIOFENO-3-CARBONITRILA CLORO SUBSTUÍDOS E SEUS SAIS FARMACOLOGICAMENTE ACEITÁVEIS

A patente trata de derivados 2-[(Benzilideno) Amino]- 5,6-Diidro-4H-Ciclopenta[B]Tiofeno-3-Carbonitrila Cloro substituídos e seus sais farmacologicamente aceitáveis, obtidos sinteticamente através de modificações moleculares para uso na saúde humana e/ou animal com fins de tratamento, profilaxia, paliativa, ou também como diagnóstico.

A tecnologia está depositada no INPI para solicitação de Carta Patente com Protocolo de nº PI 1107412-4 A2.